Mude-se


Quem nunca acordou um dia sem saber direito o que fazer ou para onde ir? Em seguida dominado por um sentimento enorme de vontade imensa de mudar… mudar de casa, mudar a cor da parede da sala, mudar os móveis do lugar… com a sensação de que isso iria, de alguma maneira, movimentar a energia estagnada que o estava deixando tão sem rumo? Senti-me assim muitas vezes mesmo, afinal a mudança é latente em nós. De fato, isso muda a energia e ajuda bastante, porém é preciso mais… É preciso colocar nestas mudanças, toda sua fé e força. Essa fé não está necessariamente relacionada à religião, tem a ver com força pessoal, equilíbrio psíquico, serenidade para aceitar a circularidade do tempo, e coragem para construir um novo modelo mental. Somente assim você perceberá que aquele conflito todo se foi e que realmente mudanças estão acontecendo.
Então, só para começar experimente um mergulho para dentro de si mesmo, experimente olhares diferentes para coisas que pareçam obvias, por exemplo.
Hoje, gostaria de dividir o texto abaixo de autoria desconhecida, que caiu na minha mão dia desses. Como sou daquelas que acredita que nada é por acaso, quero dividi-lo aqui. O texto nos apresenta reflexões simples que podemos precisar para que mudanças de fato aconteçam.

“Chega um tempo, na vida da gente, que sentimos a necessidade de mudar, seja de casa ou de nós mesmos.
Largar coisas muito enraizadas e profundas, mas que já não servem mais. 
Então surge a ideia de olhar casas novas, em todos os sentidos… Quem sabe algumas em ruas estreitas que precisamos percorrer, ou outras que fiquem em ladeiras bem íngremes, para desenvolver a nossa força. Ou quem sabe, simplificar resgatar o velho e criar um novo lugar…
Ou talvez procurar uma nova casa, que tenha muita água por perto, para amolecer a nossa argila, que são as nossas crenças…
Muitas vezes, não é necessário trocar de casa, mas olhar com outros olhos para dentro dela. 
Quem sabe, olhando melhor, possamos visualizar um rio com águas transparentes, que tem a capacidade de levar embora as preocupações que não precisamos mais… Ou ainda que reflitam o nosso interior…
E se ainda pudermos ir para perto do mar, que maravilha! Quantos ensinamentos ele tem para nos dar, basta se aquietar e observar… Lugares que tenham água por perto, ajudam a amolecer a terra seca, que são iguais a nossa dureza, rigidez e incompreensão. Olhar através de arcos resulta em enxergar aquilo que realmente precisamos ver…
Começamos a entender que a casa é a nossa morada, somos responsáveis por ela. Podemos dar cor ou não, mas o colorido exige mais cuidado.
Observar se não estamos construindo muros muito fechados em volta da nossa casa. Muros separam, pontes ligam, aproximam. Através das pontes podemos ver o outro lado. Conhecer o outro lado muda a nossa percepção, nos transforma. Começamos a ter uma nova visão… E com a nova visão, fica mais fácil pensar na nova construção ou reforma…
Precisamos nos aproximar mais das pessoas? Por acaso nos isolamos demais? Ou precisamos nos aquietar mais? Quem sabe um lugar mais alegre? Ou precisamos caminhar silenciosamente por ruas desconhecidas?
Olhar para nossa casa requer coragem e força… É enxergar o que precisa ser mudado ou desapegar do velho… É olhar fundo. E quando o desapego acontece, ele nos leva em situações caóticas, mais valiosas…
Neste momento, surge uma confusão de cores e caminhos… É a reforma. Muitas vezes, surgem o frio e o escuro, mas como tudo passa, sempre vem o novo dia para clarear!
Toda reforma ou mudança traz “caos”… Mas precisamos lembrar que vale a pena, o resultado chega!
Se a angústia bate à porta é hora de abrir e atender… Ela vem avisar que alguma coisa precisa mudar…
Quem sabe uma pausa para refletir sobre tudo isso?
Olhar para o rio e perceber que ele corre sozinho e tem seu tempo… Faz seu curso e segue livre… A cada lugar que o rio passa, ele vê novas paisagens, e nós queremos nos fixar… Permanecer…
É hora de recomeçar, mudar de casa ou reformar.
Assumir responsabilidades, ser dono delas! Com certeza não é fácil, mas vale a pena!”



Um Salve à Vida!!!

Abacate para que te quero

Nem todo mundo dá bola para o abacate, e eu era uma delas, mas só até me mudar para este lugar e me deparar com uma árvore gigante - O abacateiro NÃO, o AVOCADO.
Tem mais nutriente que o abacate, e possui expressivo teor de fibras, além de vitaminas E, B6, ácidos graxos monoinsaturados, gordura saudáveis e antioxidantes e é 10% menos calórico que o abacate.
Os benefícios são tantos que seria difícil enumerá-los aqui. Além disso, não me considero nenhuma especialista no assunto, mas por absoluta necessidade e vontade de descobrir maneiras de consumi-los e aproveitar ao máximo essa benção, encontrei algumas informações que são constatadas por estudos científicos, bem como curiosidades sobre o abacate e outras variações da fruta (neste caso o AVOCADO) e sua importância à saúde.
Para saber mais: Encontrei informações relevantes no site da OPAS que é totalmente voltado para informações de saúde.
Como fui abençoada não apenas com uma árvore, mas com DUAS delas, quando tem ventania muitos caem e se partem, o que inviabiliza para o consumo, notei a quantidade absurda das sementes que ficam no chão sem destino (o caroço) e pesquisei se podiam ser consumidas também. Para minha mais que grata surpresa, descobri que a semente pode ser consumida, já que contém muitas propriedades medicinais, até mais que o resto da fruta.A semente de abacate tem propriedades antimicrobianas, antibióticas e antifúngicas.
Além disso, tem enormes propriedades antioxidantes. E não só ajuda para cuidar de nossa saúde, mas também reduz o colesterol e protege contra a formação de placa arterial; pode ser usada topicamente para tratar problemas de pele e dores musculares e articulares. A semente apresenta 70% dos aminoácidos que estão presentes na fruta.


Já estou preparando as minhas
No site MELHORCOM SAÚDE você confere as inúmeras formas de aproveitar as sementes de abacate para tirar o maior proveito delas no tratamento natural de muitas doenças, e informações as propriedades medicinais de consumir a semente do abacate.
O Avocado também se tornou o queridinho do universo gastronômico. São diversas as opções de pratos que grandes chefes de renomados restaurantes. Versátil, rende receitas fáceis e rápidas de preparar. A matéria do portal Terra explica mais sobre essas descobertas trás receitas incríveis com o Avocado. clicar aqui e conferir.

Saindo um guacamole
Seguindo dicas e relatos científicos já comecei a testar algumas receitas e aprender a melhor forma de conservá-las e consumi-las.
Já fiz a máscara para o cabelo e para a pele. Ah, alguém me passou a dica de que a casca depois de retirada toda a polpa serve para usar como esfoliante para o rosto e corpo antes do banho, não é o máximo!

Descobri ainda que tanto o abacate quanto o avocado, são frutas que ajudam na absorção de nutrientes durante as refeições. Isso significa que, quando acrescentados a uma salada, por exemplo, o aproveitamento nutricional é até
cinco vezes maiores!
Na saladinha nossa de cada dia

Prometo voltar com mais descobertas e dicas sobre essa fruta que é um verdadeiro tesouro medicinal.
Namastê!

Escolha e despedida



Sim, acabo de sair daqui.
Algumas mudanças não são apenas geográficas, elas pesam mais que as distâncias carregam na mala o desejo latente de arriscar. Decidi mudar tudo, começar do zero, limpar os espaços poluídos do peito, desapegar das tralhas materiais e respirar mais leve o cheiro de uma mudança pra lá de desejada e necessária. E não é novidade pra ninguém que toda escolha é, de alguma maneira, uma troca. Sim, deixar alguma coisa para poder conquistar outra.
Deixo a cidade e todo o seu “conforto” para descobrir quais são minhas verdadeiras necessidades enquanto pessoa consciente nesse mundo de meu Deus.
Tanto tempo tendo tudo ao alcance atrofiou meus braços e a capacidade de ponderar o que realmente preciso.
Quero restabelecer a relação com o tempo rei. O relógio deixa de ser regido pelos ponteiros sociais e desacelera para uma batida natural, calma e muito pessoal.

O dia agora há de começar com neblina e silêncio rompido pelo canto dos pássaros no nascer do sol, um beijo prá buzina dos carros nervosos pela manhã!
Acredito piamente na evolução como ser humano e sinto que preciso desta escolha para completar tal processo. Viver de forma mais consciente, voltar a um estilo de vida simples, estar mais próximo da natureza, respeitar o outro e a nós mesmos, faz parte do processo evolutivo. A lista de razões que me leva a esta escolha é enorme e ainda acho que não sei completá-la, o tempo há de me ajudar a entender tudinho. Mas deixo aqui esse diário meio aberto aonde vou registrando as aventuras desse processo que escolhi viver.
Minha gratidão e o sorriso mais largo para minha família, que me apóiam, entendem e respeitam minha alma cigana e inquieta. Aos amigos de todas as horas, a tudo o que vivi antes de chegar até aqui, a tudo o que a vida ainda guarda pra gente, seja onde e como for. Estou partindo de peito aberto e com a certeza de que a distância não é mais que um cálculo.
A minha escolha nada mais é por viver uma vida larga, não apenas uma vida longa.
Um beijo e um abraço de urso em cada um de vocês que tem um cadinho de mim.

Mudança à vista


Hoje sei que dá pra renascer várias vezes nessa mesma vida. Basta desaprender o receio de mudar!


Desculpem a demora na atualização do blog, mas estive concentrada em alugar meu apartamento porque decidi mudar para a praia. Já tinha feito uma pequena experiência dois anos antes - contei AQUI e também já comentei AQUI.
Entretanto, devo confessar que esta mudança esta sendo a mais emblemática que já fiz, não sem dar trabalho é claro. Apesar de já ter simplificado e doado muita coisa das ultimas vezes, desta tive que deixar o coração de lado e muiiita coisa que eu ainda tinha foi vendida, doada ou pro lixo. Estou levando pra essa nova etapa apenas as coisas que cabe na nova vida e o que combina.
Ainda estou dando uma geral no antigo apartamento, claro que bate aquela nostalgia, até porque como diz uma amiga eu tenho “tudo à mão” e é provável que vá sentir falta das comodidades. Mas aqui vale lembrar que a essas alturas já aprendi também que toda mudança envolve uma grande quantidade de valores pessoais. Ela nos força a iniciar uma adaptação em um ambiente diferente, no qual temos que investir muito do nosso esforço físico e emocional, ao mesmo tempo em que arriscamos o nosso bem-estar e a nossa segurança.
Mas enfim, dramas a parte, porque a praia vai me fazer bem, vai me impulsionar a mudar hábitos que venho tentando mudar e fica só a pouco mais que duas horas da minha cidade. Bom, né? Estava pensando que estou me tornando expert em mudanças, se lembrarem das tantas que já contei por aqui.

Lá vou eu. Jeans e camiseta, do meu jeito, conhecer o que poderá ser – por que não? – uma futura moradia. Sem preconceitos, sem sustos.

Mais um Facebookcídio no Brasil

Há tempos venho questionando e até criticando sobre o uso desmedido que as redes sociais provocam na vida da gente. Percebi que atrapalha a comunicação (em vez de ajudar), acirra conflitos de opinião e efetivamente não serve pra nada.
Já tinha ouvido falar em facebookcídio e ao ler alguns relatos na internet é isso que acabei de fazer - Saí do faceboock como opção para recuperar meu sossego e um pouco de privacidade na vida. Já tinha abandonado o Twitter, o Linkedin e não entrei no Instagram e ainda continuo com o Google+ e o Pinterest porque são mais voltados para o meu blog mesmo.

Depois de alguns anos blogando resolvi que entrar também no Facebook ficaria mais próxima dos meus leitores, mas as coisas se misturaram e o uso diário passou a me consumir e quando dei por mim estava viciada.
Prejudicou muito a minha concentração causada pelas novidades e mensagens que vão aparecendo sem a gente pedir, a ponto de não conseguir mais produzir um post inteiro, escrever meus poemas ou simplesmente ler um livro. Aos poucos fui deixando o blog de lado e me perdi pelo caminho.
Notei que muitas vezes uma hora inteirinha já tinha ido embora somente às visitas de perfil em perfil, meio sem rumo, mais uma perda de tempo do que uma distração. Perdeu o sentido.
Apesar dos danos de passar tanto tempo navegando pelo facebbock apenas essa semana criei coragem e desativei meu perfil. Eu queria simplesmente deletar minha conta, mas como escritora e blogueira entendo que o aplicativo ainda é uma das melhores formas de manter o contato com as pessoas que acompanham meus textos e outros trabalhos, por isso ainda não deletei a conta esta desativada, mas se o aplicativo continuar insistindo (como tem feito esses dias) vou ser obrigada a sair de vez, deletar o perfil para sempre.

Pelo que tenho visto o desgaste dessas redes já é uma realidade, mas é irreversível e logo aparecem outras e assim por diante.Talvez seja tudo culpa de Zygmunt Bauman e seus conceitos sobre a sociedade líquido-moderna. E, talvez, eu retorne na outra semana, cof, cof brincadeirinha.
Explicações demais cansam a beleza. A minha e a sua.
Prometo voltar por aqui com mais freqüência e que Alá me inspire a produzir bons textos ou historias que verdadeiramente mereçam ser compartilhados. Não prometo conteúdo incomum, mas vou tentar buscar olhares diferentes sobre aquilo que parece óbvio.
E que venha 2017!
Abraços em todos cheio de saudades.
yvone


Visualizações

Arquivo

Categorias